Atualmente o Projeto Camdança se dedica a promover ações relacionadas ao videodança na cidade de Campinas, como forma de fortalecer as relações de trabalho dos artistas da dança contemporânea na cidade de Campinas. Em março de 2019 organizamos o primeiro Encontro-Laboratório de Videodança no CIS Guanabara. Desse encontro foram produzidos um texto “Reflexões introdutórias ao videodança” e um video com exercício comentado. Na página no Facebook divulgamos notícias relacionados ao videodança no Brasil.
Também produzimos os Boletins de Produção, divulgando oportunidades de trabalho na área da dança e artes cênicas no Brasil e no mundo. Acompanhe! No face>> www.facebook.com/Projeto-Camdança
Histórico:
O Projeto Camdança existe desde 2014. Seu objetivo tem sido fortalecer a rede de artistas da dança da cidade Campinas e Região e difundir os trabalhos dos artistas locais. Em 2015 realizamos o Festival Camdança, com financiamento do PROAC FESTIVAIS. Em 2018 lançamos o projeto Temporada de Compartilhamentos de Metodologias de Treino em Dança e em fevereiro de 2019 fomos parceiras da primeira edição do Fevereiro na Dança, na área da comunicação! Nossa página contou com divulgação de oportunidades em dança e artes cênicas, reflexões na área e divulgação dos espaços locais.
projetocamdanca@gmail.com

Diretrizes de trabalho 2018. O que refletimos sobre fortalecer a dança na cidade de Campinas? O que ficou para 2019?

O Projeto Camdança visa intensificar a circulação da produção em dança em Campinas Região Metropolitana, através de seus aspectos teóricos, metodológicos e cênicos e didáticos. Sao 5 os eixos de trabalho:

      1. Produção executiva e venda de nossos trabalhos;
  1. 2.Fortalecimento da rede de artistas da dança contemporânea de Campinas e Região Metropolitana. Uma das estratégias deste item é o compartilhamento de saberes e metodologias de treino em dança entre os artistas da dança da cidade e região;
  2. 3. Produção artística, como por ex. a realização de encontros e festivais; fomento do debate sobre artes cênicas e dança contemporânea na atualidade;
    1. 4. circulação dos trabalhos dos artistas da cidade e região para outras localidades;
  1. 5. formação de público e difusão das práticas de dança.

O Projeto Camdança surgiu em 2014 e em 2015 se deu o primeiro Festival Camdança, com financiamento do PROAC Festivais. O  Camdança se propõe ao trabalho em rede. Também parte de perspectiva da crítica aos regimes de dominação na atualidade: o patriarcado, o racismo, o capitalismo e a heteronormatividade e se propõe a conectar artistas que abordem esses temas em seus trabalhos com dança.

A rede de ações é pensada a partir das diferentes experiências das integrantes da equipe na área da cena, da educação, da produção e da pesquisa.

Duas ações foram realizadas no início de 2019: a Temporada de Compartilhamento de Metodologias de Treino em Dança e a Mostra Camdança. A Temporada consiste de uma série de treinos oferecidos por artistas da dança da cidade, que se inscreveram no edital lançado pelo Camdança em julho de 2018. Os treinos sintetizam os métodos de trabalho exercidos por essas artistas em sua pesquisa prática e teórica na área e serão oferecidos para suas pares. O intuito é fomentar um espaço onde as/os artistas da dança conheçam os trabalhos uns dos outros, no quesito metodologia de treino/ensaio/pesquisa, através de uma troca didática. A segunda ação que irá ocorrer em fevereiro de 2019 é a primeira Mostra Camdança e contará com apresentação de cenas, debates e lançamento de livros. Nesse sentido o Camdança difunde os pensamentos teóricos de artistas da cidade acerca da dança e das artes cênicas, aproximando público e artistas através não apenas da cena, mas, também de debates e reflexões.

Contato: projetocamdanca@gmail.com

Um pouco sobre a Equipe Camdança

Daniela Alvares Beskow

Bailarina, investigadora do movimento, professora-orientadora de processos criativos, escritora e fotógrafa. Mestre em Artes Cênicas (UNESP 2017), bacharel em Comunicação das Artes do Corpo (PUCSP 2013), licenciada em Ciências Sociais (UNICAMP 2007) e bacharel em Ciências Políticas. Desenvolve a Metodologia de Criação em Dança e Pesquisa do movimento. Apresentou mais de 20 solos em caráter de apresentação única. Fazem parte de seu repertório, dois solos, que concebeu, coreografou, dirigiu e compôs a dramaturgia cênica e parte da trilha sonora: “Poesia sobre o peso. Metáforas sobre a vida e a morte” e “Meia hora. Um rádio espetáculo pelo fim da violência contra as mulheres”. Se apresentou nas cidades de Campinas, São Paulo, Rio de Janeiro, Bauru e Santa Bárbara D’Oeste. No mestrado lançou dois conceitos: dramaturgia cênica feminista e análise situada de espetáculos. Alguns dos profissionais, grupos e práticas que influenciaram seu trabalho: em Campinas, Adilson Nascimento e o Grupo de Estudos em Dança (GEDAN); professores do Centro de Artes Marciais Chinesas (CEAMC) com a prática das Artes Marciais Internas Tai Chi Chuan e Pa Kuá; práticas musicais, como o canto, piano, bateria e djeridoo; cursos com artistas do Lume Teatro, Confraria da Dança e Zecora Ura Theatre, este também no Rio de Janeiro; em São Paulo, professores e artistas da PUCSP, como Neide Neves, Zélia Monteiro, Toshiyuky Tanaka, Vera Sala e Jorge Vieira de Albuquerque.

Áreas e temas de atuação:

    • Aulas de pesquisa do movimento para artistas. Temas de pesquisa: respiração, peso, movimentação dos felinos, fotografia, teoria musical e a palavra escrita na relação com o movimento.
    • Aulas de pesquisa do movimento e consciência corporal para não artistas.
    • Orientação de processos artísticos.
    • Dramaturgia cênica.
    • Metodologia de treino em dança.
  • Artes cênicas e feminismo.

Fernanda Noboa

 Equatoriana residente no Brasil há 8 anos. Bacharel e licenciada em Dança pela UNICAMP,  instrutora de Pilates pela Metapilates. Possui formação em teatro e colaboração como atriz no grupo de Grupo Escuela el Teatro del Cronopio, e na escola Frente Independiente de Danza Contemporanea , em Quito Equador. Participou no Grupo de Estudo em Dança- Teatro, dirigido pela Profa Dra Veronica Fabrini. Foi bolsista do programa PIBID, e PIBIC. Integrou o Coletivo Invertido Pesquisa Cênica em espaços aéreos e verticais, dirigido por Claudia Millás. Foi professora de Teatro para crianças pelo programa Mais Educação. Na área da produção estagiou em Produção no Festival de Teatro Experimental de Quito (FITEQ), e participou como idealizadora, diretora e produtora do evento INFUSION Encuentro de Artes que contou com a participação de pelo menos 60 artistas da cidade de Quito em cada uma das três edições consecutivas 2013/ 2014/2015 (Quito-Equador). Possui uma Pós-graduação em Psicoterapia Transpessoal, pelo Clasi ( Centro Latino-americano de Saúde Integral), estuda  atualmente em  Psicoterapia Corporal Bioenergética no centro de Psicoterapia Corporal Ligare. Atualmente faz parte da equipe do Projeto Camdança, e conduz o espaço Omai Corpo e Alma, aonde da aula de pilates e de dança.  Faz parte do grupo de estudo do método Bailarino – Pesquisador – Interprete (BPI), dirigido pela Profa Dra Graziela Rodrigues, grupo no qual participou no programa de iniciação cientifica, e trabalhos de conclusão de curso no mesmo método.

 Áreas e Temas de Atuação:

    • Dança contemporânea.
    • Processos Criativos da linha do Método Bailarino Pesquisador Interprete BPI.
    • Pilates
    • Expressão corporal, aulas de jogos para crianças.
  • Aulas de Dança Transpessoal, um encontro com o corpo e uma ampliação terapêutica

Passaram pela equipe Camdança:

Milena Machado, Ló Guimarães, Juliana Couto, Juliana Shiel, Ana Clara Amaral, Bia Frade, Juliana Razera, Mariana Jorge, Melina Scialom e Natália Augusto Silva.