Metodologia de Investigação do Movimento e Criação em Dança 

17/02 13h-17h. Local: CIS Guanabara

Aula de Daniela A. Beskow. Fotografia: Ricardo Lemos Ribeiro

Descrição da metodologia

A metodologia de Investigação do Movimento e Criação em Dança é desenvolvida pela bailarina Daniela Alvares Beskow desde 2002. É um método de pesquisa, treinamento, desenvolvimento e criação do movimento voltado para as Artes da Cena, com foco na dança, e também para o aprofundamento da consciência do movimento não-cênico, podendo ser desenvolvida em grupos de artistas e de não-artistas. O método se baseia no estudo da motricidade do corpo através de sua relação com a ação de percepção de si e do outro. Alguns de seus fundamentos estão no estudo do
silêncio, da respiração e da relação do corpo com o chão, com o ar e com o outro. São influências para este trabalho o contato com várias áreas do conhecimento e também o contato com profissionais das artes cênicas. O aprendizado desta Metodologia pode se dar através do curso completo com duração de 102 horas. O posterior treinamento garante a manutenção do conhecimento desenvolvido. Outros dois formatos garantem o contato com a técnica, de forma abreviada: 12 horas (versão mini) e 51 horas (versão síntese). Para esta inscrição, a proposta é realizar treino de um dos elementos componentes da Metodologia, já que não é possível resumir a
Metodologia de Investigação do Movimento e Criação em Dança no período de 4 horas.

Conceitos-chave da Metodologia

Percepção ampliada
Transmissão de movimento
Multidimensionalidade
Isometria
Concomitância
Todo
Relação
Respiração
Peso
Ar
Chão
Olhar
Pesquisa do Movimento
Criação em Dança
Consciência
Silêncio

Origens, fontes, referências da Metodologia

A principal origem da Metodologia de Investigação do Movimento e Criação em Dança é a própria pesquisa do movimento. Impulsionaram o nascimento desta pesquisa, a vontade, necessidade, curiosidade e a certeza em práticas que desenvolvam os corpos de formas criativas. Corpos e pessoas que possam perceber o que se passa ao redor e consigo mesmo e a partir dessa consciência, propor formas de estar e se movimentar, na vida e em cena. A principal fonte de pesquisa desta Metodologia é a própria vida, que se torna matéria-prima para o movimento.
Algumas referências colaboraram e colaboram para o desenvolvimento da pesquisa que estrutura a Metodologia de Investigação do Movimento e Criação em Dança. São elas: a observação do movimento dos felinos; a pesquisa sobre as possibilidades da respiração e da relação do ar e da respiração com o movimento; a Arte Marcial Interna Tai Chi Chuan; a Teoria Musical e sua tradução em movimento; a fotografia e a pesquisa sobre imagem; a palavra escrita; a pesquisa sobre o silêncio; e
a Teoria Geral dos Sistemas e o pensamento em rede.
Movimentação dos felinos.
A partir da observação dos movimentos realizados pelos felinos, mais especificamente os gatos, interpreta-se e gera-se noções de movimento. Então inicia-se processo de desenvolvimento dessas noções, dessa vez no corpo humano. As principais noções geradas a partir dessa observação, são: silêncio, atenção, prontidão, rapidez, aplicação da força, flexibilidade, impulso, precisão. O termo “Estado do Gato” é utilizado para se referir ao corpo que desenvolve as noções apresentadas, de forma relacional.
Artes Marciais Chinesas Internas.
As Artes Marciais Chinesas Internas tem como um de seus focos o movimento isométrico. Nesse sentido, o elemento da força entendida como resultado do próprio peso leva à pesquisa da relação do corpo com o chão e com o ar. A partir deste estudo surgem três qualidades de relação com o chão: empurrar, apertar e soltar. Outros elementos deste Arte contribuem para a pesquisa criativa do movimento: multidimensionalidade do corpo; equilíbrio; concentração; relação do centro com as
extremidades.
Respiração.
A ação da respiração é involuntária, porém, controlável. Músculos abdominais e capacidade pulmonar promovem atenção ao centro do corpo, gerando impulso, concentração, sincronia com o movimento e potencialização da força. Da pesquisa com a respiração são gerados mais elementos: sons da respiração; voz; palavra cantada e palavra falada. O ar que está ao redor é o mesmo que passa por dentro do corpo, se transforma e retorna ao entorno, conectando as pessoas e ampliando as noções de espaço.
Música.
Alguns conceitos da Teoria Musical são interpretados no corpo, como: ritmo, velocidade, tempo, pausa, compasso (unidade criativa), estrutura e melodia. O contato da artista com os instrumentos piano, bateria e djeridoo contribuíram para o desenvolvimento destas noções musicais.
Fotografia.
A área da fotografia contribui para a pesquisa sobre dramaturgia cênica e relação do corpo com o espaço. Luz e sombra são seus elementos principais, além dos conceitos de perspectiva, enquadramento e relação entre elementos em um mesmo espaço, pensados através do corpo e do movimento.
Palavra escrita.
O prática da escrita e a pesquisa sobre a palavra fornecem alguns elementos para a pesquisa do movimento: construção de uma ideia; interpretação; tradução, síntese. Pensados corporalmente, estes elementos originam movimentos.
Silêncio.
A pesquisa sobre o silêncio fornece elementos para trabalhar a ampliação, a percepção, a pausa, a ausência, o barulho e o detalhe.
Teoria Geral dos Sistemas.
A Teoria Geral dos Sistemas fornece alguns conceitos que colaboram para esta pesquisa: relação, todo, partes, observação, rede e outros.
Algumas das noções desenvolvidas a partir dos seis pilares:
A pesquisa do movimento é conduzida através de seus vários elementos em detalhe: precisão, contraste, quebra, continuidade, pausa, relação, todo, partes, elaboração, discurso, sequência, tema, ritmo,velocidade, escuta, encadeamento, prontidão, isometria, força, impulso, multidimensionalidade, duração, imagem, composição, tradução, expressão, tempo, atenção e força a partir do relaxamento, impulso a partir da concentração, o corpo como tempo, o corpo como espaço, relação com o outro a partir do ar ao redor, direção a partir da relação com o chão e com o ar, relação do movimento com o inspirar e o expirar (respiração), duração do movimento a partir da
duração da respiração, composição da palavra do corpo no ar, o corpo do espaço e o espaço do corpo, entre outros.

>>Tempo da Pesquisa que compõe esta Metodologia: 17 anos (desde 2002)
>>Tempo desde a primeira sistematização com o objetivo de orientar outros artistas e não-artistas (na ocasião da orientação do Grupo de Criação em Dança): 12 anos (2007)

Histórico da artista

Daniela é bailarina e escritora. Mestre em Artes Cênicas (UNESP, 2017); graduada em
Comunicação das Artes do Corpo (PUCSP 2013); licenciada em Ciências Sociais (UNICAMP, 2007); e bacharel em Ciências Políticas (UNICAMP 2006). Desde 2002 desenvolve trabalho solo como bailarina e também a Metodologia de Pesquisa do Movimento e Criação em Dança, método de treinamento e criação que resultam em apresentações e cursos ao público. Dentre alguns temas que se destacam na sua pesquisa são: o silêncio, a respiração, o peso, o ar, o movimento dos felinos
e a crítica ao patriarcado, além da investigação da fotografia, da música e da palavra escrita como elementos constituintes para seu pensamento sobre dramaturgia cênica.
Desde 2002 apresentou 22 solos em caráter de apresentação única, como resultado de pesquisa e desenvolvimento de linguagem, sendo 03, com músicos ao vivo; 07 trabalhos em grupo; e apresentações dos dois solos que compõe seu repertório: “Poesia sobre o Peso. Metáforas sobre a Vida e a Morte” e “Meia Hora: um Rádio Espetáculo pelo fim da Violência contra as Mulheres”.

Seus trabalhos percorreram as cidades de Campinas, São Paulo, Rio de Janeiro, Bauru e Santa Bárbara, em locais e eventos como: Sesc Pompéia, Tucarena, Matilha Cultural, Faculdades de Artes e Urbanismo, Universidade Paulista, Satiryanas, Jornada Internacional de Pesquisa em Artes (São Paulo-SP); Centro Cultural Casarão, Universidade de Campinas, MIS- Campinas, Barracão Teatro, Camdança – Festival de Dança Contemporânea de Campinas e Região, Feverestival, Mostra Casarão, Festival do Instituto de Artes, Semana do Audiovisual, Mostra de Dança e Artes (Campinas-SP); Virada Cultural Paulista (Santa Bárbara); entre outros. Sua trajetória em dança e o início da elaboração de sua didática e pensamento em arte foi marcado
por algumas experiências e cursos com alguns grupos/artistas de Campinas: Gedan (Grupo de Estudos em Dança) coordenado por Adilson Nascimento, Campinas; Companhia Confraria da Dança, com Diane Ichimaru e Marcelo Rodrigues, Campinas; Zecora Ura Theatre (projeto DRIFT), Reino-Unido/Brasil; Lume Teatro, Campinas; entre outros. A prática das Artes Marciais Internas Tai Chi Chuan moderno e Pa Kuá também foram importantes junto ao CEAMC-Centro de Artes Marcias Chinesas, Unicamp-Campinas; além de parcerias com outros artistas e contato com a música, fotografia e a escrita. Posteriormente as disciplinas cursadas na graduação em Comunicação
das Artes do Corpo na Puc-SP também foram de grande aproveitamento, destacando-se as pesquisadoras Neide Neves, Zélia Monteiro, Vera Sala, Toshi Tanaka e Jorge Vieira de Albuquerque. Realizou cursos e aulas com Tadashi Endo, Jussara Miller, Companhia A Fleur de Piel, além do curso de produção com Cynthia Margareth, coordenadora do Feverestival. Atualmente integra o Coletivo Casarão, grupo co-gestor do espaço público Centro Cultural Casarão, localizado em Campinas-SP. Como professora e orientadora de processos artísticos, Daniela orientou em 2008, pelo período de
um ano, o Grupo de Criação em Dança no Centro Cultural Casarão. Em 2015 e 2016 ofereceu as seguintes oficinas no Laboratório de Processos de Criação Atorais (LAPCA) da Universidade Paulista (UNESP): “Dramaturgia cênica e treinamento para atrizes e atores” e “Mulheres em cena e o contexto de gênero – poéticas atorais feministas na cidade de São Paulo”. Em 2016 ofereceu o ciclo de três oficinas de compartilhamento de seu método de trabalho, em comemoração aos 15 de anos de trabalho, no Centro Cultural Casarão, em Campinas-SP. Atualmente coordena o Curso “Técnica de Pesquisa do Movimento e Criação em Dança versão síntese”, com duração de 50 horas, para a bailarina Fernanda Noboa. Daniela ofereceu aulas para artistas e não artistas no Espaço Dois Pontos e no Espaço Céu Aberto, ambos em Campinas.
Prêmios e bolsas: junto a outras artistas, foi contemplada com o prêmio Minc de Intercâmbio e Difusão Cultural (2013) com o projeto “Estados de Passagem” e PROAC Festivais (2014) com o projeto “Festival Camdança”. Pesquisou a relação público-artista no teatro fechado (com bolsa FAPESP 2013) e no teatro de rua (2013) durante a graduação em Comunicação das Artes do Corpo. A pesquisa de mestrado se aprofundou em dramaturgia cênica, feminismo e mulheres em cena (com
bolsa CAPES 2015-2017). Daniela é co-coordenadora do Projeto Camdança, cujo objetivo é o fortalecimento da rede de artistas da dança contemporânea na cidade de Campinas e região, cujo um dos elementos é o Festival Camdança. Daniela organiza mostras, encontros e festivais na área das artes desde 2001 nas cidades de Campinas e São Paulo.

Links informativos sobre a artista

www.danielaalvaresbeskow.com
www.vimeo.com/danielaalvaresbeskow
www.palavraemeia.com
www.facebook.com/Tumulto-Produções-Artísticas

O que será realizado: descrição dos exercícios a serem aplicados durante o treino

Será realizado um treino que mescla os elementos: respiração e peso. Em conjunto com o desenvolvimento das noções de observação, silêncio e multidimensionalidade.
Descrição dos exercícios:
INTRODUÇÃO
1) Relaxamento conduzido, introduzindo as palavras-chave do treino através da percepção.
2) Deitada, perceber a diferença entre o corpo cheio e o corpo vazio de ar.
3) Deitada, perceber a superfície onde o corpo está e pressionar o chão com cada parte do corpo
que toca o chão.
RESPIRAÇÃO
4) Em pé e em movimento: perceber o ar ao redor.
5) Em pé, primeiro parada e depois em movimento: alisar o ar, perfurar o ar.
6) Expansão: corpo cheio de ar. Retração: corpo vazio de ar. Movimento centrípeto e movimento
centrífugo; movimento de encher e murchar.
7) Sincronia entre movimento e respiração: por partes do corpo, inspira em uma direção, expira na
direção contrária.
PESO
8) Massagem nos pés.
9) Base dos pés: ampliação da sola dos pés.
10) Qualidade da base dos pés através da transferência de peso: soltar, empurrar, pressionar.
11) Qualidades em movimento, deslocando-se pelo espaço.
NOÇÕES
Elaborar movimento a partir do desenvolvido durante o treino e atenta à: observação, silêncio e
multidimensionalidade, através de percepção conduzida.
ELABORAÇÃO FINAL
O grupo é dividido em duas partes. Uma parte dança/se movimenta, enquanto a outra observa e
depois ao contrário.
ESCRITA
Cada pessoa escreve o que quiser, durante cinco minutos. O objetivo é a elaboração do presente,
como resultado da experiência vivida, através da palavra escrita.
CONVERSA FINAL
Conversa entre todas/os.

INSCRIÇÕES: projetocamdanca@gmail.com

inscrições até 16/02