Reflexões sobre trabalho em rede na cidade de Campinas

Reflexões Camdança sobre trabalho em rede na cidade de Campinas
As diretrizes de trabalho do Projeto Camdança de 2018 deixam algumas questões para 2019! O que refletimos sobre fortalecer a dança na cidade de Campinas? O que ficou para esse ano?

📍 Deixamos essas reflexões sobre trabalho em rede na cidade de Campinas para vocês. O que é urgente? O que importa? Como trabalhamos com dança e como visualizamos nosso trabalho daqui a um ano, cinco anos, dez anos? Como dialogamos com a cidade? Que artistas da cidade e que trabalhos eu conheço ou quero conhecer? De que forma a construção de caminhos coletivos pode levar à um fortalecimento do meu trabalho individual? Como o fortalecimento da rede de trabalho com dança na cidade pode levar à uma melhoria do cenário trabalhista com artes cênicas a nível local e nacional?

Diretrizes de 2018 do Projeto Camdança:
“O Projeto Camdança visa intensificar a circulação da produção em dança em Campinas Região Metropolitana, através de seus aspectos teóricos, metodológicos e cênicos e didáticos. Sao 5 os eixos de trabalho:

1- Produção executiva e venda de nossos trabalhos;

2- Fortalecimento da rede de artistas da dança contemporânea de Campinas e Região Metropolitana. Uma das estratégias deste item é o compartilhamento de saberes e metodologias de treino em dança entre os artistas da dança da cidade e região;

3- Produção artística, como por ex. a realização de encontros e festivais; fomento do debate sobre artes cênicas e dança contemporânea na atualidade;

4- Circulação dos trabalhos dos artistas da cidade e região para outras localidades;

5- Formação de público e difusão das práticas de dança”.

O Projeto Camdança surgiu em 2014 e em 2015 se deu o primeiro Festival Camdança, com financiamento do PROAC Festivais. O Camdança se propõe ao trabalho em rede. Também parte de perspectiva da crítica aos regimes de dominação na atualidade: o patriarcado, o racismo, o capitalismo e a heteronormatividade e se propõe a conectar artistas que abordem esses temas em seus trabalhos com dança.

A rede de ações é pensada a partir das diferentes experiências das integrantes da equipe na área da cena, da educação, da produção e da pesquisa.

Quatro ações foram realizadas no início de 2019: a Temporada de Compartilhamento de Metodologias de Treino em Dança, a Mostra Camdança, o primeiro Encontro-Laboratório de Videodança e a parceria com a primeira edição do Fevereiro na Dança. A Temporada consistiu de três treinos oferecidos por artistas da dança da cidade e RMC, que se inscreveram no edital lançado pelo Camdança em julho de 2018. Os treinos sintetizam os métodos de trabalho exercidos por essas artistas em sua pesquisa prática e teórica na área e serão oferecidos para suas pares. O intuito foi fomentar um espaço onde as/os artistas da dança conhecessem os trabalhos uns dos outros, no quesito metodologia de treino/ensaio/pesquisa, através de uma troca didática. A Mostra Camdança contou com apresentação de cenas, debates e lançamento de livros. Nesse sentido o Camdança difundiu os pensamentos teóricos de artistas da cidade acerca da dança e das artes cênicas, aproximando público e artistas através não apenas da cena, mas, também de debates e reflexões. O primeiro Encontro-Laboratório resultou no texto “Reflexões Introdutórias ao Videodança” e também videos com exercícios comentados. A parceria na comunicação com o Fevereiro na Dança, marcou presença nessa importante iniciativa de aproximar e visibilizar espaços autônomos que promovem a dança na cidade de Campinas.

Em 2019 o Camdança passa a se centrar na linguagem do videodança e na difusão dos Boletins de Produção, divulgando oportunidades de trabalho nacionais e internacionais na área da dança e artes cênicas.

Deixamos essas reflexões sobre trabalho em rede na cidade de Campinas para vocês. O que é urgente? O que importa? Como trabalhamos com dança e como visualizamos nosso trabalho daqui a um ano, cinco anos, dez anos? Como dialogamos com a cidade? Que artistas da cidade e que trabalhos eu conheço ou quero conhecer? De que forma a construção de caminhos coletivos pode levar à um fortalecimento do meu trabalho individual? Como o fortalecimento da rede de trabalho com dança na cidade pode levar à uma melhoria do cenário trabalhista com artes cênicas a nível local e nacional?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *